Aposentadoria 2019: como funciona a regra 85/95

Quer tirar suas dúvidas sobre a regra 85/95 para aposentadoria 2019? Entenda como funciona o sistema e saiba se ele é vantajoso para você

Uma das maneiras de os brasileiros solicitarem aposentadoria é a chamada regra 85/95. São milhões de indivíduos que já conseguiram o benefício por usá-la; exatamente por isso, ela será mudada para 86/96 a partir do último dia de 2018. Essa alteração é um dos meios de o Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS) diminuir um pouco a concessão de aposentadorias, haja vista a dificuldade financeira da Previdência Social.

Essa é a modalidade de aposentadoria para quem deseja somar seu tempo de contribuição com a sua idade. Para as mulheres, essa conta precisa ter como resultado 85 ou mais; para os homens, 95 ou mais. Dessa maneira, uma mulher que tem 54 anos precisaria ter mais 31 de contribuição e, dessa forma, chegaria aos 85 anos.


Mudança na regra 85/95 para a aposentadoria 2019

Essa mudança se trataria somente de aumentar um ano, ou seja, as mulheres passariam a precisar de soma 86 e os homens de soma 96. Para 2019 e 2020, é isso mesmo quer acontecerá; porém, essa nova regra é do tipo progressiva, o que quer dizer que esse número vai continuar subindo.


Nos anos de 2021 e de 2022, essa soma será de 87 anos para as mulheres e de 97 anos para os homens e vai ser aumentada a cada dois anos. O último aumento ficou determinado para o ano de 2026, quando as mulheres precisarão somar 90 anos e os homens terão de somar 100 anos.

A ideia dessa mudança na regra é fazer com que menos pessoas se aposentem, uma vez que o Instituto Nacional de Seguridade Social garante não ter mais verba para pagar todos os benefícios. Se as aposentadorias continuassem sendo fornecidas como até agora, a probabilidade era de que a previdência social ficasse completamente sem recursos em breve.

É necessário ressaltar que o governo federal não utiliza apenas essa alteração na regra como forma de conter os gastos. Também está sendo feito o que é chamado de pente fino em todos os benefícios por invalidez e outras doenças: as pessoas beneficiadas estão sendo convocadas para realizar nova perícia e, então, determinar se o seu auxílio saúde continuará sendo fornecido ou se esse cidadão deve voltar a trabalhar.

Aposentadoria 2019: como funciona a regra 85/95


Como calcular se é possível usar a regra 85/95 para a aposentadoria 2019

Algumas pessoas que têm pouco tempo de contribuição acham que podem pedir a aposentadoria apenas porque a sua deste com a sua idade chega a 85 ou 95. No entanto, isso não é certo: ainda que a soma seja 85 ou 95, não será concedida a aposentadoria se essa pessoa não tiver contribuído com o tempo mínimo. Para os homens, ele é de 35 anos e, para as mulheres, é de 30 anos.

Uma orientação para os que estão chegando próximo à época da aposentadoria é começar a juntar os seus registros profissionais. É importante ter todas as carteiras de trabalho e até conferir no INSS se todos os registros estão constando. Dessa forma, a pessoa pode procuras previamente o empregador que não recolheu devidamente a contribuição previdenciária.

Há aqueles que também pagaram carnês de contribuição, sendo isso muito usado por quem não trabalha de forma registrada. Esses indivíduos também precisam de todos os seus carnês para requisitar aposentadoria.

Aposentadoria 2019: como funciona a regra 85/95


Alternativa para aposentadoria 2019: previdência privada

Como se nota, tende a ficar muito mais difícil conseguir a aposentadoria por meio da previdência social e é por isso que diversos brasileiros estão procurando a previdência privada. Esse sistema é parecido com o INSS: o indivíduo paga contribuições mensais, de acordo com a época em que quer se aposentar.

Essa previdência é somada àquilo que o INSS pagar mensalmente como aposentadoria. Além disso, é o próprio trabalhador que determina de quanto será sua contribuição mensal e a partir de quantos anos ele gostaria de recebe-la de volta. Sendo assim, uma pessoa que recebe R$ 1.500,00 como aposentadoria da previdência social e mais R$ 700,00 pela sua previdência privada terá renda de R$ 2.200,00 mensais.

Na previdência privada da Caixa Econômica Federal, por exemplo, os cidadãos podem juntar quantias não somente para a sua aposentadoria, mas também para outros tipos de projetos. Além disso, eles dizem quanto queriam ter por mês, quais são as possíveis contribuições que tenham feito até agora com o INSS e o banco diz quanto, por mês, seria preciso depositar.

Uma pessoa que gostaria de ter R$ 500,00 adicionados mensalmente à sua aposentadoria precisará pagar menos de R$ 80,00 por dia. Cabe dizer que o simulador de previdência da Caixa também dá uma estimativa de quanto o INSS pagaria de aposentadoria para aquele cidadão.

Além da CEF, há diversos bancos que têm programa de previdência privada, como o Itaú e também o Banco do Brasil. Normalmente, as corretoras de seguro também contam com esse tipo de previdência, mas é mais confiável utilizar o serviço bancário.

Links Patrocinados

Consulta INSS

O Consulta INSS é um site não-oficial e não possui qualquer vínculo com a Previdência Social. A página tem como objetivo informar e esclarecer dúvidas sobre o INSS.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.